Seguidores

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Sabedoria Pratica

Sabedoria Pratica
Tg. 3.13-18
Introdução:
A pratica da sabedoria no dia a dia, não é vista pelo conhecimento que temos, mas pela nossa maneira de agir na vida pratica. A verdadeira sabedoria é aquela que produz fruto e edificação para Igreja. A falta da verdadeira sabedoria leva ao sentimento de inveja e destruição, cujo comportamento e atitudes promovem o descontentamento, a divisão, a desunião entre os irmãos. São pessoas que promovem a perda, pessoas que tem maldade em suas atitudes para atingir seus objetivos, são pessoas inseguras que no uso da sabedoria humana, em contraste com a sabedoria que vem do alto, caluniam e denigrem a imagem dos outros em busca de poder e posição a qualquer custo.
Tiago inicia com uma pergunta: Quem dentre vós é sábio e inteligente? Ele mesmo da a resposta: Mostre pelo seu bom trato, as suas obras em mansidão e sabedoria. Não é com arrogância, não é com pressão desnecessária, não é com petulância, nem com imposição autoritária, é com brandura e mansidão. Tiago afirma que a verdadeira sabedoria é aquela que apresenta consistência entre as palavras e os frutos; uma das características dessa pessoa é a pureza de intensões na forma de agir e falar, ao contrário das déspotas que apresentam maldade.
Buscam a conciliação, com amor, misericórdia, perdão; mansidão; paciência; moderação, ao contrário daqueles que não sabem como falar e acabam ferindo os outros com suas palavras. É necessário ter misericórdia, se colocando no lugar do outro. O verdadeiro sábio é aquele que tem fino trato sem acepção de pessoas, não levando em conta seus  interesses pessoais.
A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória, cada um colhe o que semeia, quem semeia paz, colhe a paz; quem semeia ventos colhe tempestades; mas quem tem Jesus no barco de sua vida, ele repreende o vento e acalma a tempestade. Quem não promove a verdadeira sabedoria, procura promover o ganho próprio buscando a vantagem sobre os outros. Quando há bom trato, paz, amor e união há verdadeira sabedoria e todos saem ganhando.
A palavra sabedoria em hebraico é CHOKMAH; em grego é SOFIA;  Sabedoria é a parte pratica de quem adquiriu conhecimento yādha‛, em hebraico, em grego é Gnóse. Enquanto que conhecimento é aquisição de informações através de pesquisas externas a sabedoria é a parte pratica de quem adquiriu conhecimento através da inteligência. Salomão era inteligente, tinha conhecimento, mas precisava de sabedoria para por em pratica o conhecimento, pediu a Deus, que lhe deu sabedoria e riquezas sem igual. Deus tem dotado algumas pessoas de sabedoria natural para atender as necessidades humanas, mas lhes falta a sabedoria do alto para atender as necessidades espirituais.
A nossa conduta pessoal demonstra a nossa sabedoria tanto a natural como a espiritual.
É preciso discernir a sabedoria divina da sabedoria diabólica; a sabedoria divina é acompanhada de temor e respeito a Deus, o medo de errar e desagradar a Deus e entende que servir a Deus e ao próximo é uma virtude de quem tem sabedoria divina. Quem quer ser mestre e não serve a Deus, não serve para ser mestre. Há muitas pessoas que vem a Igreja em busca da sabedoria divina e só ouvem lindos discursos de conhecimento mas vazios da pratica do amor cristão e saem frustradas.
Conclusão:
O maior sábio do mundo foi Salomão não houve ninguém antes dele, nem depois dele que o superasse, exceto o nosso Senhor Jesus Cristo, que nos trouxe a sabedoria do alto que é pura, perfeita e sem contaminação. A palavra de Deus é comparada a agua de uma fonte pura e cristalina que jorra para a vida eterna. Mas se contaminada com heresias pode matar o crente. Portanto deve ser proferida com amor, mansidão, temperança, domínio próprio, misericórdia e perdão; sobretudo com a sabedoria do alto. Deus abençoe a todos.

Fonte de inspiração: EBD/CPEAD. 31/8/2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário