Seguidores

domingo, 27 de outubro de 2013

FAMÍLIA NA IGREJA: UMA INTEGRAÇÃO NECESSÁRIA

FAMÍLIA NA IGREJA: UMA INTEGRAÇÃO NECESSÁRIA
SALMO 133 Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes. Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o SENHOR ordena a bênção e a vida para sempre.
Introdução:
Dentre as instituições sociais, a família e a igreja podem ser consideradas indispensáveis dentro da conjuntura social. Ser membro de uma família e ser membro da igreja de Cristo é algo que deve ser profundamente valorizado e levado à sério. Família e igreja estão intimamente relacionadas. É impossível separar a família da Igreja ou esta daquela, sem trazer prejuízos a ambas.
 Verifica-se que há uma tendência muito acentuada em se fazer separação entre a fa­mília e a igreja. Apesar de serem instituições distintas, é preciso entender que não deve existir  separação. Dentre as instituições sociais, a família e a igreja podem ser consideradas indispen­sáveis dentro da conjuntura social. Ser membro de uma família e ser membro da Igreja de Cristo é algo que deve ser profundamente valorizado e levado a sério. Família e Igreja estão intimamente relacionadas. É impossível separar a família da Igreja ou esta daquela, sem trazer prejuízos a ambas. O descaso para com a Igreja revela descaso para com a família, pois, dispensar o que a Igreja tem a oferecer à família é uma atitude, no mínimo, irresponsável dos que a dirigem. O contrário também é verdadeiro: o descaso para com a família é a prova mais concreta do descaso para com a Igreja, podendo ser considerado até mesmo como sinto­ma da negação da fé
1.     Família e Igreja: Uma Integração Necessária.
 1. Tm 5.8. Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel.
 Uma instituição está implícita na outra, se interdependem, se completam. O problema é que hoje a Igreja tem sido concebida por muitas pessoas e famílias apenas como um local a ser visitado semanalmente (às vezes), tornando-se algo muito distante da família. Alheias ao dia-a-dia da Igreja, suas dificulda­des, propostas e desafios, muitas famílias valorizam apenas a  Ceia e Batismo como só isso pudesse garantir a aprovação de Deus e as bênçãos para a família. Conforme o ensino geral da Palavra de Deus, podemos analisar a relação família e igreja  na. integração podemos destacar a necessidade para adoração
 Ef (5.19-21). Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo; Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus. Adoração pode ser uma experiên­cia individual, mas deve ser também congregando na oração da manhã, Escola dominical e as demais atividades da Igreja,
Fp (1.27). Somente deveis portar-vos dignamente conforme o evangelho de Cristo, para que, quer vá e vos veja, quer esteja ausente, ouça acerca de vós que estais num mesmo espírito, combatendo juntamente com o mesmo animo pela fé do evangelho.
Hb (10.25). Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. Congregada com o povo de Deus, a família tem maiores condições de prestar ao Senhor uma adoração mais profunda, envolvente, criativa e participativa. Quando a família se omite, a Igreja não tem como cumprir sua missão, pois é formada de famílias.
 Compreendendo a necessidade desta integração, Josué tomou uma decisão que ainda hoje desafia a família: Eu e a minha casa serviremos ao Senhor. Josué 24.15.
Família e Igreja: Uma Integração Agradável.
Promove a sociabilidade: Salmo (133.1). Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. Além de ser uma necessidade, o harmo­nioso relacionamento entre família e Igreja torna-se uma experiência por demais agra­dável. O convite para ir à casa do Senhor alegrava o salmista Davi . Salmo (122.1). Alegrei-me quando me disseram: Vamos á casa do SENHOR. Igreja e família promove uma sociabilidade que não deve ser trocada por nada. Sl. 84.1-10
A Igreja é uma comunidade terapêutica. Muitas famílias podem testemunhar a agradável experiência que as envolveu quando se integraram à igreja. Profundo conhecedor desta função terapêutica da Igreja, o apóstolo Paulo escreve aos cristãos de Roma: “se Deus quiser, chegarei aí cheio de alegria e lhes farei uma visita que será muito agradável para mim” Rm 15.32. A fim de que, pela vontade de Deus, chegue a vós com alegria, e possa recrear-me convosco.
SI. 133.3.Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o SENHOR ordena a bênção e a vida para sempre. A integração família/igreja é agradável também porque atrai sobre si a bênção de Deus. O relato a respeito da igreja do período apostólico comprova isto. At (2.42-47). Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar  Importante para  missão de salvar almas e colocar os filhos no altar do senhor.
Família e Igreja, Uma Integração Apostólica.
 Cl (3.16). A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cánticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração. Estando unida à igreja, a família se envolve nas variadas formas de adoração, o que é impossível estando desligada da igreja, sendo necessária para comunhão
 A vida cristã deve ser marcada não apenas pela experiência vertical da comunhão com Deus, mas também pela horizon­tal: comunhão com os irmãos. Integrada à igreja, a família, usufrui das bênçãos da comunhão cristã e ajuda a promovê-la. Os primeiros cristãos perseveraram na comu­nhão. Atos (4.32-35). E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns. E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.  Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos. E repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha. Hb.10.24. E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e ás boas obras,
 Não obstante o aspecto agradável que permeia a integração família/igreja, é pre­ciso compreender que esta integração sofre muitas vezes a interferência de problemas que trazem sérios prejuízos, pela alienação. O engajamento e a participação de cada famí­lia são indispensáveis para a igreja. O indiferentismo de muitas famílias acomodadas e desinteressadas em crescer na graça e no conhecimento do Nosso Senhor Jesus Cristo, bem como igrejas que não valorizam a família, resulta em enormes prejuízos para ambas. A falta de maturidade cristã e o relaxamento na participação prejudicam tre­mendamente a integração entre família e igreja
 Hebreus. 5.12-14. Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento. Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino. Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal.
 Incentive seu filho a estar sempre participando das nossas reuniões para com isso vir a receber a palavra de Deus. Provérbios 22:6 Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele. A conformidade há este século tem sido um dos grandes problemas da igreja. Há famílias que estão se conduzindo e dando aos seus filhos uma formação embasada muito mais nos princípios de uma sociedade corrompida e sem Deus, do que nos santos princípios cristãos.  Rm.1.2. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Cada família deve considerar os conselhos da Palavra de Deus, apresentados por intermédio do apóstolo Paulo
Conclusão:
 Filipense 4:7-9. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus. Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco. Apesar das ameaças e prejuízos que a igreja e a família às vezes sofrem, alenta-nos saber que esta integração é sempre viável e prossegue vitoriosamente graças à direção divina sobre ambas. Salmo 127.1; Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. Família e Igreja são duas instituições coexistentes, inseparáveis e comprovadamente viáveis e criadas pelo Senhor. Aleluia!  
Sermão ministrado pelo Pr. Antônio Rodrigues da Siva na reunião de obreiros, dia 27/10/13.

Igreja P.A.D. Missão Profética. Sede. Rua dos Alpes 1.143. Curuça. Santo André. SP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário