Seguidores

sábado, 8 de dezembro de 2012

A Queda das muralhas de Jericó.


 A Queda das muralhas de Jericó. (Ap. T. Martins da Rocha)

  Josué 6.20. Gritou o povo, e os sacerdotes tocaram as trombetas; ouvindo o povo o sonido das trombetas, deu um grande brado, e o muro caiu abaixo, e o povo subiu a cidade cada qual em frente de si, e a tomaram.

 Introdução:

 A terra de Canaã. Foi dada por Deus aos filhos de Israel, porque os cananeus eram um povo ímpio e bárbaro, mergulhados no pecado da idolatria, da feitiçaria e da prostituição, Deus se cansou deles por causa de seus crimes hediondos, pois chegavam a queimar seus filhos ao deus Molóque, em adoração.

 Deus escolheu e chamou Abraão, para ser santo e peregrinar na terra, com a promessa de que essa terra seria dada a sua descendência. Abraão creu e obedeceu a Deus, e Deus fez uma aliança com Abraão, dando-lhe um filho aos cem anos de idade e sara sua mulher com noventa anos, nasceu Isaque, de Isaque nasceu Jacó, que Deus mudou-lhe o nome para Israel para poder abençoa-lo. De Jacó, nasceram as doze tribos de Israel que vieram a ser escravos no Egito por cerca de 400 anos. Deus levantou entre eles um libertador, Moisés que os tirou do Egito, para introduzi-los na terra prometida. Deus fez o povo peregrinar no deserto até surgir uma nova geração preparada para a guerra, pois o povo que havia saído do Egito não eram guerreiros, eram um povo acostumado a escravidão e não a conquista.

 E a terra de Canaã era habitada por gigantes e guerreiros, mas havia em Israel dois grandes guerreiros, Josué e Calebe, homens valentes e sem medo estes foram preservados por Deus para liderar o povo, suceder aquela geração e entrar na terra de Canaã. Os cananeus eram descendentes de Cão, filho de Noé, que foi amaldiçoado pelo Pai, ao vê-lo nu e se escandalizado.

De modos que Canaã era uma de suas possessões, incluindo a África. A cidade de Jericó era uma barreira intransponível a conquista da terra. O povo de Israel sob a liderança de Josué, receberam instruções de Deus para invasão da terra e destruição de todo ser vivo que estivessem nela, inclusive os animais. Exceto a prostituta Raabe e sua família que tinha dado abrigo e esconderijo aos espias da terra. As muralhas de Jericó eram inexpugnáveis. Somente através de um poder sobrenatural poderiam ser derrubadas. Mas a Bíblia diz que quando as trombetas tocaram e o povo gritou, as muralhas caíram ao chão, porque o poder sobrenatural de Deus estava com eles.

Eu quero lhe dizer que não há pessoa neste mundo que não tenha uma muralha na sua vida a ser derrubada.

Eu não sei qual é a sua muralha, se é a muralha da duvida, a muralha da incredulidade, a muralha do medo, a muralha da doença da enfermidade, da dor, do vicio do fumo, do álcool, das drogas que está fazendo barreira na tua vida, mas eu declaro em nome de Jesus que essa muralha está caindo por terra nesta noite. Se você crê dá uma rajada de gloria a Deus.

 Agora eu quero usar a palavra muralha como uma metáfora, para te dizer que Deus também usa muralhas para dar livramento ao seu povo. Êxodo 14.15,16,21,22. O povo de Israel sob a liderança de Moisés saíram do Egito e ficaram encantoados entre o mar vermelho, as montanhas e o exercito do Faraó que vinha em perseguição. Moisés clamou a Deus, Deus disse a Moisés: Porque clamas a mim? Diz aos filhos de Israel que marchem e tu levanta a tua vara, estende a tua mão sobre o mar e divide-o para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar a seco. Então Moisés estendeu a mão sobre o mar, e o Senhor fez retirar-se o mar por um forte vento oriental toda aquela noite e fez-se do mar terra seca. As aguas foram divididas e os filhos de Israel entraram pelo meio do mar em seco e as aguas foram qual muro, a sua direita e a sua esquerda. Muro é sinônimo de muralha, Deus fez muralhas de aguas de um lado e do outro para o povo de Israel passar e depois que passou o ultimo homem o exercito do Faraó entrou atrás  deles e Moises estendeu a mãos sobreo mar e o mar retornou a sua força ao amanhecer sepultando os egípcios no meio do mar. As muralhas de agua sepultou Faraó e todo o seu exercito. O Senhor salvou Israel das mãos dos egípcios e Israel do outro lado cantou o hino da vitória. Aleluia.

Eu quero nesta noite ser um profeta de Deus para a tua vida, para te dizer que se você crer e por em pratica a palavra de Deus, as muralhas cairão, as portas se abrirão para você passar, mas os teus inimigos não passarão, eles serão mortos e sepultados e você cantará o hino da vitória. Aleluia!

 Davi era um homem segundo o coração de Deus mas tinha uma grande muralha em sua vida, a ser derrubada, essa muralha foi o rei Saul, que sendo rejeitado por Deus e sabendo que Deus já havia levantado outro para reinar em seu lugar, suspeitou de Davi, devido sua fama, popularidade e valentia,  as mulheres gritavam Saul  feriu seus milhares e Davi seus dez milhares, isso desagradou muito a Saul e desde então passou  a persegui-lo de morte. Porem Deus sempre deu livramento a Davi, e por dez vezes ele escapou de Saul. Um certo dia Deus o colocou nas mãos de Davi, mas Davi não o matou em respeito a sua unção. Subiu num alto monte e o fez saber que o tinha poupado. Então Saul confessou seu pecado e implorou sua volta dizendo-lhe que nunca lhe faria mal. Saul disse: Bendito sejas tu meu filho Davi, grandes coisas farás e certamente prevalecerás. !º Sm. 26.25. Mas Davi, concluiu em seu coração que se ficasse em Israel, acabaria sendo morto por Saul. Pois o fogo amigo é pior que o fogo inimigo. Você nunca poderá confiar em alguém que quer te matar. Há uma fabula que ilustra bem isto. Um escorpião pediu carona a uma tartaruga para atravessar um riacho, e ela cedeu, quando chegou do outro lado ele cravou o ferrão no seu pescoço, ela lhe disse: Porque me fizeste isto, se eu só te fiz o bem. E ele me respondeu: É minha natureza, a morte é a natureza de Satanás.

Davi preocupado com sua família, foi buscar abrigo politico entre os filisteus e o Rei Aquis dos filisteus lhe deu a cidade de Ziclague para ele e os seus habitar. E Davi então passou a guerrear a guerra dos filisteus contra os outros inimigos. Porem quando surgiu a guerra contra Israel, os príncipes dos filisteus falaram com o rei Aquis, para dispensar Davi e seus homens porque ele poderia voltar-se contra eles. E Davi voltou para Ziclague, porem os amalequitas haviam queimado a cidade e sequestrado seus familiares, Davi chorou muito, pois até os seus se voltaram contra ele e queriam apedrejá-lo. Mas ele chamou o sacerdote Abiatar, pediu-lhe sua estola e consultou ao Senhor, e o Senhor disse a ele, vai atrás dos inimigos que os darei nas suas mãos. Davi reuniu seus homens e partiu atrás venceu os amalequitas, resgatou seus familiares e grande despojo. Aleluia!

O Senhor está nos dizendo nesta noite, para não desistirmos dos nossos familiares que estão sofrendo, não desista de lutar por eles, que o Senhor entregara os nossos inimigos nas nossas mãos. Aleluia. Santo é o nome do Senhor.

 Conclusão:

 Marcos 14.32. As muralhas que o Senhor Jesus enfrentou para nos dar a salvação, foi a maior de todas as muralhas. Jesus no Getsêmani, mandou seus discípulos se assentarem e tomou com ele Pedro, Tiago e João e começou a ter pavor e angustiar-se, mandou que eles vigiassem e foi orar: Dizendo Pai, se possível for afasta de mim este cálice, porem se não for, seja feito a tua vontade. Voltando a seus discípulos os encontrou dormindo. Jesus enfrentou as muralhas do pânico, da angustia, do medo e da indolência dos discípulos, mas não desistiu. Olhou por cima das muralhas e viu o nosso cativeiro, o nosso sofrimento nas mão do diabo. E foi em frente e destruiu as muralhas e nos libertou do cativeiro, se entregado por nós na cruz do calvário, morreu e ressuscitou, venceu o diabo e a morte, triunfou sobre eles cravando na cruz o escrito da divida que era contra nós. Aleluia! O véu do templo se rasgou de alto a baixo. Glória a Deus!

Eu quero profetizar sobre a tua vida que não há muralha que não caia por terra quando pela fé no nome de Jesus oramos a Deus. Aleluia!.

Fonte de Inspiração:
Pregação do Ap. Martins. 5/12/12.
Igreja P.A.D. Missão Profética.                                     Pr. Narciso L. Silva. D/R.

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário